Quatro vacinas contra a Covid-19 podem começar a ser produzidas ainda este ano

VACINAO mundo corre contra o tempo para achar uma vacina contra a Covid-19. No momento, há seis promissoras sendo testadas, sendo que quatro poderiam começar a ser produzidas ainda este ano. Para que a pandemia acabe, os especialistas dizem que 60% da população têm que estar protegidos, com anticorpos contra o novo coronavírus. É por isso que a vacina é fundamental para que o mundo volte ao normal.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), há 120 projetos de vacina em desenvolvimento, usando diferentes tecnologias. Desses, seis já estão na primeira fase dos estudos clínicos com humanos, alguns encerrarão essa etapa agora em junho, com resultados preliminares positivos. Depois há mais duas fases de estudos clínicos.

Dentro dessas seis, a empresa de biotecnologia americana Moderna afirmou que oito voluntários vacinados desenvolveram defesas contra a Covid-19 de forma segura. A Universidade de Oxford, no Reino Unido, que desenvolve um imunizante em parceria com a empresa AstraZeneca, também disse que os estudos têm sido “encorajadores” e ressalta que a vacina deles teria baixo custo. As outras candidatas em destaque são da Pfizer/BioNTech, CanSino, Johnson&Johnson e Sanofi/GSK. As quatro primeiras, segundo os analistas, poderiam começar a ser produzidas até o fim deste ano. E as duas últimas, em meados de 2021.

Pessoas são mais importantes do que economia, diz Papa Francisco sobre pandemia

PAPADurante discurso neste domingo (31), o Papa Francisco saiu do texto previsto e afirmou que pessoas são mais importantes do que a economia, em um momento em que países decidem como vão retomar atividades após as restrições adotadas para tentar evitar a dissminação do novo coronavírus.

“Curar as pessoas, não poupar (dinheiro) para ajudar a economia (é importante), curar as pessoas, que são mais importantes do que a economia”, disse o Papa. A fala do pontífice foi a primeira em três meses feita de sua janela para a Praça de São Pedro, no Vaticano, conforme o isolamento da Itália chega ao fim.

Mega-Sena, concurso 2.266: ninguém acerta as seis dezenas, e prêmio vai a R$ 45 milhões

megasenadsc_5279Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.266 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (30). O prêmio acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 10 – 23 – 31 – 37 – 58 – 59. A quina teve 50 acertadores; cada um levará R$ 64.685,64. A quadra teve 4.167 apostas ganhadoras; cada um ganhará R$ 1.108,80. O próximo concurso será na quarta-feira (3). O prêmio é estimado em R$ 45 milhões.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal – acessível por celular, computador ou outros dispositivos. É necessário fazer um cadastro, ser maior de idade (18 anos ou mais) e preencher o número do cartão de crédito.

Abin alertou Bolsonaro sobre necessidade de isolamento, diz jornal

BOLSONAROA Abin (Agência Brasileira de Inteligência) alertou o governo, por meio de 1 lote de 47 relatórios diários, num total de 950 páginas, sobre a necessidade do isolamento social. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo. Os documentos, obtidos pelo Estadão, indicam a falta de leitos de UTI (unidades de terapia intensiva) e a elevada subnotificação de casos de infectados por covid-19 e mortes por insuficiência de testes de diagnóstico.

O presidente Jair Bolsonaro, entretanto, tem insistido na importância da retomada econômica para evitar ainda mais desemprego e diz que as quarentenas “não atingiram o seu objetivo”. Em 1.º de maio, a Inteligência brasileira informou ao presidente que, de 27 a 30 de abril, havia sido observado aumento de casos no interior do Amazonas pelo “descumprimento do isolamento social”.

Brasil tem recorde de infecções em um dia e é o 4º país do mundo em mortes

CORONAVÍRUSUm dia após ultrapassar a Espanha, o Brasil superou neste sábado, 30, a França em número de mortes por coronavírus e agora é o quarto país no mundo com a maior quantidade de óbitos. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, o país europeu tem 28.717 mil mortes. Já o Brasil acumula o saldo total de 28.834 com os 956 óbitos registrados nas últimas 24 horas. A taxa de letalidade é de 5,8%, ou 13,7 mortes a cada 100 mil habitantes.

O Brasil está atrás apenas dos Estados Unidos (103,4 mil mortes), Reino Unido (38,4 mil) e Itália (33,3 mil), mas estes dois últimos já passaram pelo pico da doença e apresentam números cada vez menores. Além disso, de acordo com o balanço do Ministério da Saúde divulgado neste sábado, o País registrou de ontem para hoje o recorde de 33.274 novos casos de infecção, elevando o total de contaminados para 498.440.

Ato de torcedores a favor da democracia tem confronto com grupo pró-Bolsonaro

frame-01-28-00.066Um protesto pró-democracia organizado por torcidas de clubes de futebol e que começou de forma pacífica teve confronto entre manifestantes e apoiadores do presidente Jair Bolsonaro e entre manifestantes e policiais militares na Avenida Paulista, região central de São Paulo, neste domingo (31).

Pelo menos cinco manifestantes foram detidos pela Polícia Militar (PM) e levados ao 78º Distrito Policial dos Jardins. Segundo a PM, alguns estavam com produtos químicos e armas brancas. Até por volta de 16h, não havia informações sobre feridos.

A polícia usou bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que revidaram com pedras e paus. Houve correria. Os confrontos começaram por volta de 13h e ocorreram de forma mais intensa até, pelo menos, pouco antes das 15h.

Caicó: Tributação prorroga Refis e possibilita até 100% de desconto em juros e multas dos débitos

CAICÓA Tributação do Município de Caicó, comunica a todos os contribuintes que estiverem em atraso com seus tributos e que tiverem interesse de negociar, que o REFIS foi prorrogado, possibilitando até 100% de desconto em juros e multas dos débitos dos exercícios anteriores até o dia 26 de junho de 2020. Para demais informações, entrar em contato pelos tel/whats: (84) 9.8806-3683 / (84) 9.9869-7028 / (84) 9.9801-4082, ou pelo e-mail: [email protected] Não deixem para o último momento.

Moro: Bolsonaro deixou de vetar itens do PL anticrime para defender Flávio

MOROO ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro voltou a criticar a falta de empenho do presidente Jair Bolsonaro no combate à corrupção e disse que o mandatário deixou de vetar itens do projeto anticrime para defender o senador  e filho Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

Em entrevista à revista Crusoé divulgada, nesta sexta-feira (29/5), Moro comentou que Bolsonaro sancionou a lei no fim de 2019 sem barrar alguns dispositivos que tratam sobre a limitação de prisões preventiva e de acordos de colaboração premiada. Moro sugeriu os vetos, mas o presidente não o atendeu.

“Me chamou a atenção um fato quando o projeto anticrime foi aprovado pelo Congresso. Infelizmente, houve algumas alterações no texto que acho que não favorecem a atuação da Justiça criminal. Propusemos vetos, e me chamou a atenção o presidente não ter acolhido essas propostas de veto, especialmente se levarmos em conta o discurso dele tão incisivo contra a corrupção e a impunidade. Limitar acordos e prisão preventiva bate de frente com esse discurso. Isso aconteceu em dezembro de 2019, mesmo mês em que foram feitas buscas relacionadas ao filho do presidente”, comentou o ex-ministro.

Pico do coronavírus no Brasil é imprevisível, diz secretário da Saúde

BB14Ayo4O secretário substituto de Vigilância em Saúde, Eduardo Macário, disse na tarde desta 6ª feira (29.mai.2020) que não é possível precisar quando será o pico de mortes pelo coronavírus no Brasil. Segundo ele, as estimativas são feitas localmente. O secretário falou à imprensa no começo da noite desta 6ª (29.mai.2020). Pouco depois, o ministério divulgou os números de contágio e mortes da pandemia.

Macário também negou que a pasta tenha uma expectativa para os números de mortes pelo vírus. “O Ministério da Saúde não trabalha com estimativas de mortes”, disse. Em 24 horas, foram confirmadas 1.124 mortes no Brasil. O total desde o início da pandemia é de 27.878. São 465.166 casos registrados, sendo 26.928 nas últimas 24 horas.